Aconteceu na Igreja e no mundo

Cáritas Espanhola celebra setenta e cinco anos de existência

A Cáritas Espanhola completa neste ano setenta e cinco anos de fundação. O surgimento da instituição deu-se no difícil período do pós-guerra tanto nacional quanto mundial, tendo em vista as grandes dificuldades enfrentadas pela população. Em 1947, foram elaborados os estatutos fundacionais, constituindo a Cáritas tal como a conhecemos hoje. Com o tempo a entidade se expandiu, chegando a ocupar-se de obras de caridade em plano internacional. Atualmente mantém mais de sessenta projetos em quarenta países da África, América do Sul e América Central, Ásia, Leste Europeu e Oriente Médio.

As comemorações pela efeméride culminaram com a celebração, no dia 1º de julho, de uma Missa em ação de graças presidida pelo Cardeal Carlos Osoro Sierra, Arcebispo de Madri, na Catedral de Nossa Senhora da Almudena. Cáritas Espanhola desejava, assim, agradecer a todos os agentes, voluntários e doadores que possibilitam seu trabalho em favor das pessoas mais vulneráveis.

*     *     *

Campanha Eucarística é promovida nos Estados Unidos

Uma pesquisa realizada no ano de 2019 pela agência americana Pew Research Center, apontou que só cerca de 31% dos católicos dos Estados Unidos creem na Presença Real de Nosso Senhor Jesus Cristo na Eucaristia. Em vista disso, no dia 14 de junho a Arquidiocese de Detroit, em parceria com o Hallow App, lançou a campanha I Am Here – Eu estou aqui –, que tem por objetivo promover uma verdadeira devoção a Jesus-Hóstia.

Entre outros recursos, a iniciativa divulga numerosos testemunhos de fiéis a respeito da mudança operada em suas vidas pela Adoração Eucarística, bem como disponibiliza em sua página web um aplicativo com meditações e explicações sobre a Eucaristia, incentivando os fiéis a ouvi-las durante uma visita ao Santíssimo Sacramento em sua paróquia.

Beatificação de mártires libaneses

No dia 4 de junho, a Igreja Católica no Líbano pôde celebrar com júbilo a beatificação de dois franciscanos que morreram mártires durante a Primeira Guerra Mundial. O Pe. Léonard ­Melki e o Pe. Thomas Saleh eram amigos desde a infância e ambos ingressaram na Ordem dos Frades Menores. Sob falsas acusações, o primeiro foi preso e brutalmente torturado até ser executado a tiros em 11 de junho de 1915, no deserto, junto a outros 417 prisioneiros. O Pe. Thomas Saleh, por sua vez, foi condenado à pena capital sob a acusação de conspirar contra o Império Otomano, por esconder um sacerdote armênio perseguido em razão de pertencer a este povo. Faleceu em 18 de janeiro de 1917 de desnutrição e tifo, enquanto caminhava para o local da execução.

Bispos da Colômbia realizam curso sobre exorcismo

Entre os dias 21 e 23 de junho, a Conferência Episcopal Colombiana realizou em Bogotá o II Curso de Exorcismo e Oração de Libertação, que congregou delegados episcopais e leigos de todas as dioceses do país.

Conforme explicou Mons. Gabriel Londoño Sepúlveda, exorcista da Arquidiocese de Bogotá, o encontro, que contou com a participação de conferencistas de diversas áreas, teve por objetivo responder às situações espirituais novas que estão surgindo não só na Colômbia, mas em todo o mundo, auxiliando os ministros na atenção a tantas pessoas que se sentem acossadas pelo mal.

Capelas de Adoração Perpétua crescem na Espanha

O número de capelas destinadas à Adoração Perpétua na Espanha não tem cessado de crescer. Desde março de 2020, apesar das restrições impostas pela pandemia da Covid-19 e de suas consequências sobre a prática religiosa, cinco novas capelas de Adoração foram inauguradas, completando um total de setenta em todo o país.

Javier Taberner, um dos impulsionadores da devoção na Espanha, destaca ser esse um sintoma de que “as pessoas estão revalorizando a importância de ter o Senhor junto a nós as vinte e quatro horas do dia”.

Da Guarda Suíça ao seminário

Após oito anos na Guarda Suíça, Didier Grandjean, de trinta e dois anos, decidiu deixar o posto de suboficial do corpo armado para ingressar no seminário. Segundo ele mesmo relatou a uma agência de notícias italiana, nesse período que passou na Cidade Eterna paulatinamente ele foi sentindo o chamado de servir a Nosso Senhor mais de perto e dedicar sua vida inteiramente a Ele. Assim, após pausada reflexão, concluiu que a via querida por Deus para ele era a do sacerdócio.

Mártires da castidade beatificadas na Polônia

No dia 11 de junho, o Cardeal Marcello Semeraro, Prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, presidiu a cerimônia de beatificação de dez religiosas polonesas que sofreram o martírio em 1945 pelas mãos das tropas soviéticas. A Ir. Maria Paschalis Jahn e suas companheiras pertenciam à Congregação das Irmãs de Santa Isabel, e morreram em diferentes cidades defendendo sua fé e castidade após serem atacadas por soldados do Exército Vermelho.

A elevação aos altares das religiosas é também uma forma de honrar todas as outras mulheres consagradas executadas por soldados soviéticos durante o período da guerra. ­Estima-se que, só na Congregação de Santa Isabel, mais de cem irmãs foram assassinadas em circunstâncias parecidas.

Cristãos obrigados a abandonar suas casas

Um informe publicado em junho por Open Doors, ONG que trabalha em prol da liberdade religiosa, revela que cristãos de cinquenta e oito países – dos setenta e seis onde sofrem mais perseguição em todo o mundo – foram obrigados a abandonar suas casas devido à fé que professam.

A pressão social ou familiar, as leis contra “a apostasia e a blasfêmia”, a instabilidade política e as imposições de grupos extremistas contam-se entre os principais fatores que provocam tal situação. Segundo Helene ­Fisher, uma das especialistas responsáveis pela investigação, “o deslocamento não é apenas uma consequência da perseguição, mas, em muitos casos, é intencionalmente parte de uma estratégia mais ampla, que visa erradicar o Cristianismo da comunidade ou país”.

Dois sacerdotes assassinados na Nigéria

Mais dois sacerdotes somam-se às vítimas da perseguição religiosa que assola a Nigéria. No dia 26 de junho, homens armados assassinaram o Pe. Vitus Borogo, capelão da comunidade católica no Politécnico do Estado de Kaduna, em Prison Farm, ao longo da estrada Kaduna-Kachia. No mesmo dia, o Pe. Christopher Odia, da Diocese de Auchi, foi sequestrado enquanto se dirigia para a Missa dominical e, posteriormente, morto.

Poucos dias antes, três pessoas faleceram e outras quarenta foram sequestradas num ataque à Igreja de São Moisés, no noroeste da Nigéria, ocorrido durante a Missa dominical. E no dia 5 de junho, Solenidade de Pentecostes, cerca de quarenta fiéis perderam suas vidas no massacre perpetrado por terroristas armados na Igreja de São Francisco Xavier, no sudoeste do país.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Do mesmo autor

Artigos relacionados

Redes sociais

1,600,460FãsCurtir
103,000SeguidoresSeguir
8,500SeguidoresSeguir
253,000InscritosInscrever