Benquerença, bondade e afeto

Nos últimos meses da existência terrena de Dona Lucilia, estavam visivelmente presentes nela aqueles dons com que a Providência prodigamente lhe ornara a infância, e que ela generosamente fizera desabrochar e frutificar ao longo da vida. Era fácil observar, em sua bela ­alma, o quanto a prática das virtudes se foi transformando numa como que segunda natureza, ou seja, num hábito quase instintivo, e o quanto nela sobressaía sua docilidade ao menor sopro do Espírito Santo.

Sua vida primou pela benquerença, pela bondade, pelo afeto; em síntese, pelo amor a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Do mesmo autor

Artigos relacionados

Redes sociais

1,644,769FãsCurtir
125,191SeguidoresSeguir
9,148SeguidoresSeguir
308,000InscritosInscrever