16 de junho de 2024

Domingo da 11ª semana do Tempo Comum


Ver também:

Leituras da Missa

Primeira leitura: Ez 17,22-24

22Assim diz o Senhor Deus: “Eu mesmo tirarei um galho da copa do cedro, do mais alto de seus ramos arrancarei um broto e o plantarei sobre um monte alto e elevado. 23Vou plantá-lo sobre o alto monte de Israel. Ele produzirá folhagem, dará frutos e se tornará um cedro majestoso. Debaixo dele pousarão todos os pássaros, à sombra de sua ramagem as aves farão ninhos. 24E todas as árvores do campo saberão que eu sou o Senhor, que abaixo a árvore alta e elevo a árvore baixa; faço secar a árvore verde e brotar a árvore seca. Eu, o Senhor, digo e faço”.

Salmo responsorial: Sl 91(92),2-3.13-14.15-16 (R. cf. 2a)

R. Como é bom agradecermos ao Senhor.

2Como é bom agradecermos ao Senhor *e cantar salmos de louvor ao Deus Altíssimo! 3Anunciar pela manhã vossa bondade, *e o vosso amor fiel, a noite inteira. R.

13O justo crescerá como a palmeira, *florirá igual ao cedro que há no Líbano; 14na casa do Senhor estão plantados, *nos átrios de meu Deus florescerão. R.

15Mesmo no tempo da velhice darão frutos, *cheios de seiva e de folhas verdejantes; 16e dirão: “É justo mesmo o Senhor Deus: *meu Rochedo, não existe nele o mal!” R.

Segunda leitura: 2Cor 5,6-10

Irmãos: 6Estamos sempre cheios de confiança e bem lembrados de que, enquanto moramos no corpo, somos peregrinos longe do Senhor; 7pois caminhamos na fé e não na visão clara. 8Mas estamos cheios de confiança e preferimos deixar a moradia do nosso corpo, para ir morar junto do Senhor. 9Por isso, também nos empenhamos em ser agradáveis a ele, quer estejamos no corpo, quer já tenhamos deixado essa morada. 10Aliás, todos nós temos de comparecer às claras perante o tribunal de Cristo, para cada um receber a devida recompensa —  prêmio ou castigo — do que tiver feito ao longo de sua vida corporal.

Evangelho: Mc 4,26-34

Naquele tempo, 26Jesus disse à multidão: “O Reino de Deus é como quando alguém espalha a semente na terra. 27Ele vai dormir e acorda, noite e dia, e a semente vai germinando e crescendo, mas ele não sabe como isso acontece. 28A terra, por si mesma, produz o fruto: primeiro aparecem as folhas, depois vem a espiga e, por fim, os grãos que enchem a espiga. 29Quando as espigas estão maduras, o homem mete logo a foice, porque o tempo da colheita chegou”. 30E Jesus continuou: “Com que mais poderemos comparar o Reino de Deus? Que parábola usaremos para representá-lo? 31O Reino de Deus é como um grão de mostarda que, ao ser semeado na terra, é a menor de todas as sementes da terra. 32Quando é semeado, cresce e se torna maior do que todas as hortaliças, e estende ramos tão grandes, que os pássaros do céu podem abrigar-se à sua sombra”. 33Jesus anunciava a Palavra usando muitas parábolas como estas, conforme eles podiam compreender. 34E só lhes falava por meio de parábolas, mas, quando estava sozinho com os discípulos,
explicava tudo.


Santos em destaque

Santa Julieta e São Quírico, mártires (†s. inc.). Jovem viúva martirizada junto com seu filho, ainda criança, durante a perseguição de Diocleciano, em Tarso (atual Turquia).

Santo Aureliano, Bispo (†551). Bispo de Arles e Vigário do Papa Virgílio para a Gália, fundou um mosteiro masculino e outro feminino na sua diocese, dando-lhes uma regra por ele redigida.

São Cecardo, Bispo e mártir (†860). Bispo de Luni e Sarzana, assassinado por obreiros das pedreiras de mármore em Carrara, Itália.

Santa Lutgarda, virgem (†1246). Religiosa favorecida por aparições do Sagrado Coração. Ofereceu sua vida pela conversão dos albigenses e dos pecadores.

Beato Tomás Reding, mártir (†1537). Monge da Cartuxa de Londres que, durante o reinado de Henrique VIII, foi amarrado com correntes numa prisão imunda, na qual morreu de fome e doença.

Beato Antônio Constante Auriel, presbítero e mártir (†1794). Negando-se a assinar a Constituição Civil  o Clero, durante a Revolução Francesa, foi encarcerado numa sórdida galera onde morreu prestando assistência aos seus companheiros de prisão.

Beata Maria Teresa Scherer, virgem (†1888). Primeira Superiora Geral da Congregação de Irmãs da Caridade da Santa Cruz, fundada em Ingenbohl, Suíça, para assistência aos enfermos, São Carlos Lwanga e companheiros mártires pobres e necessitados.

Ver todos os Santos deste dia no Martirológio Romano online


Galerias de imagens

Artigo anterior
Próximo artigo

Próximas liturgias

28 de junho de 2024

Memória de Santo Irineu Bispo e mártir (†202). Memória obrigatória....

27 de junho de 2024

Quinta-feira da 12ª semana do Tempo Comum Memória facultativa de...

26 de junho de 2024

Quarta-feira da 12ª semana do Tempo Comum Leituras da...
Artigo anterior
Próximo artigo

Redes sociais

1,644,769FãsCurtir
125,191SeguidoresSeguir
9,530SeguidoresSeguir
558,475InscritosInscrever