17 de agosto de 2022

Quarta-feira da 20ª semana do Tempo Comum

Em Portugal memória de Santa Beatriz da Silva, virgem (†1490). Nobre dama portuguesa da corte rainha da Espanha. Almejando levar uma vida de perfeição, recolheu-se num mosteiro dominicano. Depois fundou a Ordem das Concepcionistas.

Leituras da Missa

Primeira leitura: Ez 34,1-11

1A palavra do Senhor foi-me dirigida nestes termos: 2“Filho do homem, profetiza contra os pastores de Israel! Profetiza, dizendo-lhes: Assim fala o Senhor Deus aos pastores: Ai dos pastores de Israel, que se apascentam a si mesmos! Não são os pastores que devem apascentar as ovelhas? 3Vós vos alimentais com o seu leite, vestis a sua lã e matais os animais gordos, mas não apascentais as ovelhas. 4Não fortalecestes a ovelha fraca, não curastes a ovelha doente nem enfaixastes a ovelha ferida. Não trouxestes de volta a ovelha extraviada, não procurastes a ovelha perdida; ao contrário, dominastes sobre elas com dureza e brutalidade. 5As ovelhas dispersaram-se por falta de pastor, tornando-se presa de todos os animais selvagens. 6Minhas ovelhas vaguearam sem rumo por todos os montes e colinas elevadas. Dispersaram-se minhas ovelhas por toda a extensão do país, e ninguém perguntou por elas nem as procurou. 7Por isso, ó pastores, escutai a palavra do Senhor: 8Eu juro por minha vida – oráculo do Senhor Deus -, já que minhas ovelhas foram entregues à pilhagem e se tornaram presa de todos os animais selvagens por falta de pastor; e porque os meus pastores não procuraram as minhas ovelhas, mas apascentaram-se a si mesmos e não as ovelhas, 9por isso, ó pastores, escutai a palavra do Senhor! 10Assim diz o Senhor Deus: Aqui estou para enfrentar os pastores e reclamar deles as minhas ovelhas. Vou tirar-lhes o ofício de pastor, e eles não mais poderão apascentar-se a si mesmos. Vou libertar da boca deles as minhas ovelhas, para não mais lhes servirem de alimento. 11Assim diz o Senhor Deus: Vede! Eu mesmo vou procurar minhas ovelhas e tomar conta delas”.

Salmo responsorial: Sl 22(23),1-3a,3b-4.5.6 (R. 1)

R. O Senhor é o pastor que me conduz, não me falta coisa alguma.

O Senhor é o pastor que me conduz; *não me falta coisa alguma. Pelos prados e campinas verdejantes* ele me leva a descansar. Para as águas repousantes me encaminha, *e restaura as minhas forças R.

Ele me guia no caminho mais seguro, *pela honra do seu nome. Mesmo que eu passe pelo vale tenebroso, *nenhum mal eu temerei. Estais comigo com bastão e com cajado, *eles me dão a segurança! R.

Preparais à minha frente uma mesa, *bem à vista do inimigo; com óleo vós ungis minha cabeça, *e o meu cálice transborda. R.

Felicidade e todo bem hão de seguir-me, *por toda a minha vida; e, na casa do Senhor, habitarei *pelos tempos infinitos. R.

Evangelho: Mt 20,1-16a

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos esta parábola: 1“O Reino dos céus é como a história do patrão que saiu de madrugada para contratar trabalhadores para a sua vinha. 2Combinou com os trabalhadores uma moeda de prata por dia e os mandou para a vinha. 3Às nove horas da manhã, o patrão saiu de novo, viu outros que estavam na praça, desocupados, 4e lhes disse: ‘Ide também vós para a minha vinha! E eu vos pagarei o que for justo’. 5E eles foram. O patrão saiu de novo ao meio-dia e às três horas da tarde e fez a mesma coisa. 6Saindo outra vez pelas cinco horas da tarde, encontrou outros que estavam na praça e lhes disse: ‘Por que estais aí o dia inteiro desocupados?’ 7Eles responderam: ‘Porque ninguém nos contratou’. O patrão lhes disse: ‘Ide vós também para a minha vinha’. 8Quando chegou a tarde, o patrão disse ao administrador: ‘Chama os trabalhadores e paga-lhes uma diária a todos, começando pelos últimos até os primeiros!’ 9Vieram os que tinham sido contratados às cinco da tarde e cada um recebeu uma moeda de prata. 10Em seguida, vieram os que foram contratados primeiro e pensavam que iam receber mais. Porém cada um deles também recebeu uma moeda de prata. 11Ao receberem o pagamento, começaram a resmungar contra o patrão: 12‘Estes últimos trabalharam uma hora só, e tu os igualaste a nós, que suportamos o cansaço e o calor o dia inteiro’. 13Então o patrão disse a um deles: ‘Amigo, eu não fui injusto contigo. Não combinamos uma moeda de prata? 14Toma o que é teu e volta para casa! Eu quero dar a este que foi contratado por último o mesmo que dei a ti. 15Por acaso não tenho o direito de fazer o que quero com aquilo que me pertence? Ou estás com inveja, porque estou sendo bom?’ 16Assim, os últimos serão os primeiros, e os primeiros serão os últimos”.


Santos em destaque

São Mamede de Cesareia, mártir (†273/274). Humilde pastor da Capadócia, atual Turquia, morto durante a perseguição de Aureliano.

Santo Eusébio, Papa (†310). Durante seu curto pontificado de quatro meses, deu valoroso testemunho de Cristo. Morreu na Sicília, para onde fora deportado pelo imperador.

Santa Clara da Cruz, virgem (†1308). Abadessa do Mosteiro agostiniano da Santa Cruz, de Montefalco, Itália, distinguiu-se por seu extremo amor à Paixão de Nosso Senhor.

Santa Joana Delanoue, virgem (†1736). Movida pela caridade, recolhia em sua casa órfãos, mendigos e anciãos. Fundou em Saumur, França, o Instituto das Irmãs de Santa Ana da Providência.

Ver todos os Santos deste dia no Martirológio Romano online


Galerias de imagens

 

Artigo anterior16 de agosto de 2022
Próximo artigo18 de agosto de 2022

Próximas liturgias

4 de julho de 2022

Segunda-feira da 14ª semana do Tempo Comum Memória facultativa de...

5 de julho de 2022

Terça-feira da 14ª semana do Tempo Comum Memória facultativa de...

6 de julho de 2022

Quarta-feira da 14ª semana do Tempo Comum Memória facultativa de...
Artigo anterior16 de agosto de 2022
Próximo artigo18 de agosto de 2022

Redes sociais

1,600,460FãsCurtir
103,000SeguidoresSeguir
8,500SeguidoresSeguir
253,000InscritosInscrever