O Pai vos ama!

A consciência desta predileção por parte de Deus não pode deixar de impelir os crentes a empreenderem, na adesão a Cristo Redentor dos homens, um caminho de autêntica conversão.

Ainda que nem sempre consciente e clara, no coração do homem existe uma profunda nostalgia de Deus, que Santo Inácio de Antioquia assim expressou, de modo eloquente: “Uma água viva murmura em mim e diz-me dentro: ‘Vem ao Pai!’”.1 “Senhor, mostrai-me a Vossa glória” (Ex 33, 18), suplica Moisés na montanha. “Ninguém jamais viu a Deus: O Filho único, que está no seio do Pai, é que O deu a conhecer” (Jo 1, 18).

É, então, suficiente conhecer o Filho para conhecer o Pai? Filipe não se deixa facilmente convencer e pede: “Senhor, mostra-nos o Pai”. A sua insistência obtém-nos uma resposta que supera a nossa expectativa: “Estou há tanto tempo convosco e não Me conheces, Filipe?… Quem Me vê, vê o Pai” (Jo 14, 8-9). Depois da Encarnação, existe um rosto de homem no qual é possível ver a Deus: “Acreditai que estou no Pai, e o Pai em Mim” (Jo 14, 11), diz Jesus não só a Filipe, mas a todos aqueles que acreditarem. A partir de então, quem acolhe o Filho de Deus, acolhe Aquele que O enviou (cf. Jo 13, 20). […]

Jesus revelou-nos o amor do Pai

Ao transmitir-nos o testemunho direto da vida do Filho de Deus, o Evangelho de João indica-nos o caminho a seguir para conhecer o Pai. A invocação “Pai” é o segredo, o respiro, a vida de Jesus. […]

“O Pai vos ama” (cf. Jo 16, 27), desde sempre e para sempre: esta é a novidade inaudita, “o mais simples e o mais comovente anúncio de que a Igreja é devedora ao homem”.2 Mesmo que o Filho nos tivesse dito só esta palavra, seria suficiente: “Vede com que amor nos amou o Pai, ao querer que fôssemos chamados filhos de Deus. E, de fato, o somos!” (I Jo 3, 1). […]

“O Pai vos ama”! A consciência desta predileção por parte de Deus não pode deixar de impelir os crentes “a empreenderem, na adesão a Cristo Redentor dos homens, um caminho de autêntica conversão… É este o contexto adequado para a descoberta e a inteira celebração do Sacramento da Penitência, no seu significado mais profundo”.3

A origem de toda autêntica conversão

“O pecado é um abuso da liberdade que Deus dá às pessoas criadas para que possam amá-Lo e amarem-se mutuamente”;4 é a rejeição de viver a vida de Deus recebida no Batismo, de se deixar amar pelo verdadeiro Amor: com efeito, o homem tem o terrível poder de obstaculizar Deus na sua vontade de dar todo o bem. O pecado, que tem origem na vontade livre da pessoa (cf. Mc 7, 20), é uma transgressão do amor verdadeiro; fere a natureza do homem e dissolve a solidariedade humana, manifestando-se em atitudes, palavras e ações saturadas de egoísmo.5

É no íntimo que a liberdade se abre e se fecha ao amor. Este é o drama constante do homem, que muitas vezes escolhe a escravidão, submetendo-se a temores, caprichos, hábitos errados, criando ídolos que o dominam, ideologias que aviltam a sua humanidade.

Lemos no Evangelho de João: “Todo aquele que comete o pecado é escravo do pecado” (8, 34). Jesus diz a todos: “Arrependei-vos, e acreditai na Boa-Nova” (Mc 1, 15). Na origem de toda a conversão autêntica há o olhar de Deus para o pecador. É um olhar que se traduz em busca plena de amor, em paixão até à Cruz, em vontade de perdão que, manifestando ao culpado a estima e o amor do qual continua a ser objeto, lhe revela por contraste a desordem em que está imerso, solicitando-o à decisão de mudar de vida. É o caso de Levi (cf. Mc 2, 13-17), de Zaqueu (cf. Lc 19, 1-10), da adúltera (cf. Jo 8, 1-11), do ladrão (cf. Lc 23, 39-43), da samaritana (cf. Jo 4, 1-30): “O homem não pode viver sem amor. Ele permanece para si próprio um ser incompreensível e a sua vida é destituída de sentido, se não lhe for revelado o amor, se ele não se encontra com o amor, se não o experimenta e se não o torna algo próprio, se nele não participa vivamente”.6

Um convite a pôr-se diante de Cristo

Quando descobriu e saboreou o Deus da misericórdia e do perdão, o ser humano não pode viver de outra maneira do que converter-se continuamente a Ele.7 “Vai e doravante não tornes a pecar” (Jo 8, 11): o perdão é dado gratuitamente, mas o homem é convidado a corresponder-lhe com um sério empenho de vida renovada. […]

Antes de ser contra uma lei ou uma norma moral, o pecado é contra Deus (cf. Sl 50, 6), contra os irmãos e contra vós mesmos. Ponde-vos diante de Cristo, Filho único do Pai e modelo de todos os irmãos. Só Ele nos revela aquilo que devemos ser para com o Pai, para com o próximo e a sociedade, a fim de estarmos em paz conosco mesmos. […]

Maria: caminho seguro para o Pai misericordioso

Maria sintetiza na sua pessoa todo o mistério da Igreja, é a “Filha predestinada do Pai”,8 que acolheu livremente e respondeu com disponibilidade ao dom de Deus. “Filha” do Pai, mereceu tornar-Se a Mãe do seu Filho: “Faça-se em Mim segundo a tua palavra” (Lc 1, 38). É Mãe de Deus, porque perfeitamente Filha do Pai. No seu Coração não há outro desejo senão o de sustentar os cristãos no empenho de viverem como filhos de Deus. Como Mãe terníssima, ela os conduz incessantemente a Jesus, a fim de que, seguindo-O, aprendam a cultivar a sua relação com o Pai do Céu. Assim como nas bodas de Caná, convida-os a fazer tudo o que o Filho lhes disser (cf. Jo 2, 5), sabendo que é este o caminho para chegar à casa do “Pai misericordioso” (cf. II Cor 1, 3). […]

A Maria confio o vosso caminho e peço-Lhe que prepare os vossos corações para acolher a graça do Pai, a fim de vos tornardes testemunhas do seu amor. 

Excertos de:  SÃO JOÃO PAULO II.
Mensagem por ocasião da
XIV Jornada Mundial da Juventude
, 6/1/1999

 

Notas


1 SANTO INÁCIO DE ANTIOQUIA. Ad Romanos, 7.

2 SÃO JOÃO PAULO II. Christifideles laici, n.34.

3 SÃO JOÃO PAULO II. Tertio millennio adveniente, n.50.

4 CCE 387.

5 Cf. CCE 1849-1850.

6 SÃO JOÃO PAULO II. Redemptor hominis, n.10.

7 Cf. SÃO JOÃO PAULO II. Dives in misericordia, n.13.

8 SÃO JOÃO PAULO II. Tertio millennio adveniente, n.54.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Do mesmo autor

Artigos relacionados

Redes sociais

1,600,460FãsCurtir
103,000SeguidoresSeguir
8,500SeguidoresSeguir
253,000InscritosInscrever