23 de junho de 2024

Domingo da 12ª semana do Tempo Comum


Ver também:

Leituras da Missa

Primeira leitura: Jó 38,1.8-11

1O Senhor respondeu a Jó, do meio da tempestade, e disse: 8“Quem fechou o mar com portas, quando ele jorrou com ímpeto do seio materno, 9quando eu lhe dava nuvens por vestes e névoas espessas por faixas; 10quando marquei seus limites e coloquei portas e trancas, 11e disse: ‘Até aqui chegarás, e não além; aqui cessa a arrogância de tuas ondas?'”

Salmo responsorial:  Sl 106(107),23-24.25-26.28-29.30-31 (R. 1b)

R. Dai graças ao Senhor, porque ele é bom, porque eterna é a sua misericórdia! Ou Aleluia, Aleluia, Aleluia.

23Os que sulcam o alto-mar com seus navios, *para ir comerciar nas grandes águas, 24testemunharam os prodígios do Senhor *e as suas maravilhas no alto-mar. R.

25Ele ordenou, e levantou-se o furacão, *arremessando grandes ondas para o alto; 26aos céus subiam e desciam aos abismos, *seus corações desfaleciam de pavor. R.

28Mas gritaram ao Senhor na aflição, *e ele os libertou daquela angústia. 29Transformou a tempestade em bonança, *e as ondas do oceano se calaram. R.

30Alegraram-se ao ver o mar tranquilo, *e ao porto desejado os conduziu. 31Agradeçam ao Senhor por seu amor *e por suas maravilhas entre os homens! R.

Segunda leitura: 2Cor 5,14-17

Irmãos: 14O amor de Cristo nos pressiona, pois julgamos que um só morreu por todos, e que, logo, todos morreram. 15De fato, Cristo morreu por todos, para que os vivos não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou. 16Assim, doravante, não conhecemos ninguém conforme a natureza humana. E, se uma vez conhecemos Cristo segundo a carne, agora já não o conhecemos assim. 17Portanto, se alguém está em Cristo, é uma criatura nova. O  mundo velho desapareceu. Tudo agora é novo.

Evangelho: Mc 4,35-41

35Naquele dia, ao cair da tarde, Jesus disse a seus discípulos: “Vamos para a outra margem!” 36Eles despediram a multidão e levaram Jesus consigo, assim como estava, na barca. Havia ainda outras barcas com ele. 37Começou a soprar uma ventania muito forte e as ondas se lançavam dentro da barca, de modo que a barca já começava a se encher. 38Jesus estava na parte de trás, dormindo sobre um travesseiro. Os discípulos o acordaram e disseram: “Mestre, estamos perecendo e tu não te importas?” 39Ele se levantou e ordenou ao vento e ao mar: “Silêncio! Cala-te! “O ventou cessou e houve uma grande calmaria. 40Então Jesus perguntou aos discípulos: “Por que sois tão medrosos? Ainda não tendes fé?” 41Eles sentiram um grande medo e diziam uns aos outros: “Quem é este, a quem até o vento e o mar obedecem?”

Missa Vespertina da Vigília de São João Batista

Primeira leitura: Jr 1,4-10

Nos dias de Josias, 4foi-me dirigida a palavra do Senhor, dizendo: 5“Antes de formar-te no ventre materno, eu te conheci; antes de saíres do seio de tua mãe, eu te consagrei e te fiz profeta das nações”. 6Disse eu: “Ah! Senhor Deus, eu não sei falar, sou muito novo”. 7Disse-me o Senhor: “Não digas que és muito novo; a todos a quem eu te enviar, irás, e tudo que eu te mandar dizer, dirás. 8Não tenhas medo deles, pois estou contigo para defender-te”, diz o Senhor. 9O Senhor estendeu a mão, tocou-me a boca e disse-me: “Eis que ponho minhas palavras em tua boca. 10Eu te constituí hoje sobre povos e reinos com poder para extirpar e destruir, devastar e derrubar, construir e plantar”.

Salmo responsorial: Sl 70(71), 1-2.3-4a.5-6ab.15ab e 17 (R. 6b)
R. Desde o seio maternal, sois meu amparo.

Eu procuro meu refúgio em vós, Senhor, que eu não seja envergonhado para sempre! Porque sois justo, defendei-me e libertai-me! Escutai a minha voz, vinde salvar-me! R.

Sede uma rocha protetora para mim, um abrigo bem seguro que me salve! Porque sois a minha força e meu amparo, † o meu refúgio, proteção e segurança! Libertai-me, ó meu Deus, das mãos do ímpio. R.

Porque sois, ó Senhor Deus, minha esperança, em vós confio desde a minha juventude! Sois meu apoio desde antes que eu nascesse, desde o seio maternal, o meu amparo. R.

Minha boca anunciará todos os dias vossa justiça e vossas graças incontáveis. Vós me ensinastes desde a minha juventude, e até hoje canto as vossas maravilhas. R.

Segunda leitura: 1Pd 1, 8-12

Caríssimos, 8sem ter visto o Senhor, vós o amais. Sem o ver ainda, nele acreditais. Isso será para vós fonte de alegria indizível e gloriosa, 9pois obtereis aquilo em que acreditais: a vossa salvação. 10Essa salvação tem sido objeto das investigações e meditações dos profetas. Eles profetizaram a respeito da graça que vos estava destinada. 11Procuraram saber a que época e a que circunstâncias se referia o Espírito de Cristo, que estava neles, ao anunciar com antecedência os sofrimentos de Cristo e a glória consequente. 12Foi-lhes revelado que, não para si mesmos, mas para vós, estavam ministrando essas coisas, que agora são anunciadas a vós por aqueles que vos pregam o Evangelho em virtude do Espírito Santo, enviado do céu; revelações essas, que até os anjos desejam contemplar!

Evangelho: Lc 1,5-17

5Nos dias de Herodes, rei da Judeia, vivia um sacerdote chamado Zacarias, do grupo de Abia. Sua esposa era descendente de Aarão e chamava-se Isabel. 6Ambos eram justos diante de Deus e obedeciam fielmente a todos os mandamentos e ordens do Senhor. 7Não tinham filhos, porque Isabel era estéril, e os dois já eram de idade avançada. 8Em certa ocasião, Zacarias estava exercendo as funções sacerdotais no templo, pois era a vez do seu grupo. 9Conforme o costume dos sacerdotes, ele foi sorteado para entrar no santuário e fazer a oferta do incenso. 10Toda a assembleia do povo estava do lado de fora rezando, enquanto o incenso estava sendo oferecido. 11Então, apareceu-lhe o anjo do Senhor, de pé, à direita do altar do incenso. 12Ao vê-lo, Zacarias ficou perturbado, e o temor apoderou-se dele. 13Mas o anjo disse: “Não tenhas medo, Zacarias, porque Deus ouviu tua súplica. Tua esposa, Isabel, vai ter um filho, e tu lhe darás o nome de João. 14Tu ficarás alegre e feliz, e muita gente se alegrará com o nascimento do menino, 15porque ele vai ser grande diante do Senhor. Não beberá vinho nem bebida fermentada e, desde o ventre materno, ficará repleto do Espírito Santo. 16Ele reconduzirá muitos do povo de Israel ao Senhor seu Deus. 17E há de caminhar à frente deles, com o espírito e o poder de Elias, a fim de converter os corações dos pais aos filhos e os rebeldes à sabedoria dos justos, preparando para o Senhor um povo bem-disposto”.


Santos em destaque

Santa Ediltrudis, abadessa (†679). Filha de rei e ela mesma rainha da Northumbria, Inglaterra, fez-se religiosa no mosteiro Eliense.

São Bílio, Bispo e mártir (†c. 914). Segundo a tradição, foi morto pelos normandos quando saquearam a cidade de Vannes, França.

São Tomás Garnet, presbítero e mártir (†1608). Sacerdote jesuíta inglês, executado no reinado de Jaime I da Inglaterra.

São José Cafasso, presbítero (†1860). Dedicou-se à formação espiritual e cultural dos futuros clérigos e a reconciliar com Deus os condenados à morte, em Turim, Itália.

Beata Maria de Oignies, viúva (†1213). Sendo ainda jovem, com o consenso do seu esposo, renunciou ao mundo e dedicou-se às obras de misericórdia. Fundou e regulamentou o instituto das beguinas.

Beato Pedro Tiago de Pêsaro, presbítero (†c. 1496). Religioso da Ordem dos Eremitas de Santo Agostinho falecido no Êremo de São Nicolau de Valmanente, junto a Pesaro, Itália.

Beata Maria Rafaela Cimatti, virgem (†1945). Religiosa da Congregação das Irmãs da Misericórdia para os Enfermos, demonstrou grande caridade na assistência aos doentes e aos pobres.

Ver todos os Santos deste dia no Martirológio Romano online


Galerias de imagens

Artigo anterior
Próximo artigo

Próximas liturgias

21 de julho de 2024

Domingo da 16ª semana do Tempo Comum Leituras da...

20 de julho de 2024

Sábado da 15ª semana do Tempo Comum Leituras da...

19 de julho de 2024

Sexta-feira da 15ª semana do Tempo Comum Leituras da...
Artigo anterior
Próximo artigo

Redes sociais

1,644,769FãsCurtir
125,191SeguidoresSeguir
9,530SeguidoresSeguir
558,475InscritosInscrever