26 de novembro de 2023

Leituras da Missa

Primeira leitura: Ez 34,11-12.15-17

11Assim diz o Senhor Deus: “Vede! Eu mesmo vou procurar minhas ovelhas e tomar conta delas. 12Como o pastor toma conta do rebanho, de dia, quando se encontra no meio das ovelhas dispersas, assim vou cuidar de minhas ovelhas e vou resgatá-las de todos os lugares em que foram dispersadas num dia de nuvens e escuridão. 15Eu mesmo vou apascentar as minhas ovelhas e fazê-las repousar – oráculo do Senhor Deus. 16Vou procurar a ovelha perdida, reconduzir a extraviada, enfaixar a da perna quebrada, fortalecer a doente e vigiar a ovelha gorda e forte. Vou apascentá-las conforme o direito. 17Quanto a vós, minhas ovelhas – assim diz o Senhor Deus -, eu farei justiça entre uma ovelha e outra, entre carneiros e bodes”.

Salmo responsorial: Sl 22(23),1-2a.2b-3.5-6 (R. 1)

R. O Senhor é o pastor que me conduz; não me falta coisa alguma.

2Pelos prados e campinas verdejantes *ele me leva a descansar. Para as águas repousantes me encaminha, *3e restaura as minhas forças. R.

5Preparais à minha frente uma mesa, *bem à vista do inimigo, e com óleo vós ungis minha cabeça; *o meu cálice transborda. R.

6Felicidade e todo bem hão de seguir-me *por toda a minha vida; e, na casa do Senhor, habitarei *pelos tempos infinitos. R.

Segunda leitura: 1Cor 15,20-26.28

Irmãos, 20na realidade, Cristo ressuscitou dos mortos como primícias dos que morreram. 21Com efeito, por um homem veio a morte e é também por um homem que vem a ressurreição dos mortos. 22Como em Adão todos morrem, assim também em Cristo todos reviverão. 23Porém cada qual segundo uma ordem determinada: em primeiro lugar, Cristo, como primícias; depois, os que pertencem a Cristo, por ocasião da sua vinda. 24A seguir, será o fim, quando ele entregar a realeza a Deus Pai, depois de destruir todo principado e todo poder e força. 25Pois é preciso que ele reine até que todos os seus inimigos estejam debaixo de seus pés. 26O último inimigo a ser destruído é a morte. 28E, quando todas as coisas estiverem submetidas a ele, então o próprio Filho se submeterá àquele que lhe submeteu todas as coisas, para que Deus seja tudo em todos.

Evangelho: Mt 25,31-46

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 31“Quando o Filho do Homem vier em sua glória, acompanhado de todos os anjos, então se assentará em seu trono glorioso. 32Todos os povos da terra serão reunidos diante dele, e ele separará uns dos outros, assim como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. 33E colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda. 34Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: ‘Vinde, benditos de meu Pai! Recebei como herança o Reino que meu Pai vos preparou desde a criação do mundo! 35Pois eu estava com fome e me destes de comer; eu estava com sede e me destes de beber; eu era estrangeiro e me recebestes em casa; 36eu estava nu e me vestistes; eu estava doente e cuidastes de mim; eu estava na prisão e fostes me visitar’. 37Então os justos lhe perguntarão: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Com sede e te demos de beber? 38Quando foi que te vimos como estrangeiro e te recebemos em casa, e sem roupa e te vestimos? 39Quando foi que te vimos doente ou preso e fomos te visitar?’ 40Então o Rei lhes responderá: ‘Em verdade eu vos digo que, todas as vezes que fizestes isso a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizestes!’ 41Depois o Rei dirá aos que estiverem à sua esquerda: ‘Afastai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno, preparado para o diabo e para os seus anjos. 42Pois eu estava com fome e não me destes de comer; eu estava com sede e não me destes de beber; 43eu era estrangeiro e não me recebestes em casa; eu estava nu e não me vestistes; eu estava doente e na prisão e não fostes me visitar’. 44E responderão também eles: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome ou com sede, como estrangeiro ou nu, doente ou preso, e não te servimos?’ 45Então o Rei lhes responderá: ‘Em verdade eu vos digo, todas as vezes que não fizestes isso a um desses pequeninos, foi a mim que não o fizestes!’ 46Portanto, estes irão para o castigo eterno, enquanto os justos irão para a vida eterna”.


Santos em destaque

São Sirício, Papa (†399). Santo Ambrósio o louva como verdadeiro mestre porque tomou sobre si a responsabilidade por todos os Bispos, os instruiu com os ensinamentos dos Santos Padres e os confirmou com sua autoridade apostólica.

São Conrado, Bispo (†975). Bispo de Constança, Alemanha. Exímio pastor de sua grei, distribuiu com largueza seus bens em favor da Igreja e dos pobres.

São Nicão, monge (†998). Evangelizou a ilha de Creta, recém libertada do domínio sarraceno. Pregou depois na Grécia, onde faleceu num mosteiro fundado por ele, em Esparta.

São Silvestre Gozzolíni, abade (†1267). Ordenado sacerdote, exerceu inicialmente seu ministério na Catedral de Osimo (Itália), sua cidade natal. Presenciando a abertura do sepulcro de um parente, compreendeu toda a vaidade do mundo e passou a levar vida eremítica numa gruta, onde pouco depois outros jovens uniram-se a ele. Fundou vários mosteiros sob a Regra de São Bento, reconhecidos posteriormente como Congregação dos Silvestrinos.

Santo Humilde Pirozzo, religioso (†1637). Frade franciscano do mosteiro da Calábria. Os Papas Gregório XV e Urbano VIII o consultaram sobre graves assuntos da Igreja.

São Leonardo de Porto Maurício, presbítero (†1751). Sacerdote franciscano, empregou sua vida na pregação e na edição de livros de piedade. Participou de mais de trezentas missões na Itália.

Beata Delfina (†1358-60). Esposa de Santo Elzear de Sabran, Duque de Ariano (no Reino de Nápoles). Decidiram ambos viver em virgindade, como meio de alcançar a perfeição. Entrando na Ordem Terceira de São Francisco, dedicaram-se às obras de misericórdia.

Beatos Hugo Taylor, sacerdote, e Marmaduke Bowes, mártires (†1585). Executados durante o reinado de Isabel I da Inglaterra.

Beata Caetana Stérni (†1889). Enviuvou-se muito jovem e fundou a Congregação das Irmãs da Divina Vontade, para assistência aos pobres e enfermos.

Beato Tiago Alberione, presbítero (†1971). Fundador da Pia Sociedade de São Paulo (Irmãos Paulinos, o primeiro dos dez ramos da Família Paulina), empenhou-se em usar os meios de comunicação social como instrumento de evangelização.

Ver todos os Santos deste dia no Martirológio Romano online


Galerias de imagens

Artigo anterior
Próximo artigo

Próximas liturgias

28 de julho de 2024

Domingo da 17ª semana do Tempo Comum Leituras da...

27 de julho de 2024

Sábado da 16ª semana do Tempo Comum Leituras da...

26 de julho de 2024

Memória de São Joaquim e Santa Ana, pais de...
Artigo anterior
Próximo artigo

Redes sociais

1,644,769FãsCurtir
125,191SeguidoresSeguir
9,530SeguidoresSeguir
558,475InscritosInscrever